preloader

Link Spam Update do Google: conheça as boas práticas no link building

Link Spam Update do Google: conheça as boas práticas no link building

link spam update google
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter

Desde a metade de 2021, o Google vem colocando em prática o que chamou de Link Spam Update, que é uma atualização nos seus algoritmos para coibir a veiculação de links de baixa qualidade e de spams na internet.

A prática de link building é bem comum entre os publishers porque é uma das formas de melhorar o ranqueamento de uma página na SERP. Embora esteja longe de ser a mais relevante, é um ponto importante de se considerar para ranquear bem na página de resultados do Google.

A atualização não diz respeito sobre toda dinâmica de link building, mas sobre o que o Google vai fazer quando links de determinadas categorias não estiverem classificados com as tags apropriadas, como links de afiliados e guest posts.

Por que o publisher precisa se preocupar com isso? 

Más práticas de link building podem prejudicar o ranqueamento do site e o publisher pode sofrer consequências. 

Ainda que essas consequências para os publishers que não adequarem o tagueamento dos links corretamente não tenham sido esclarecidas, é melhor verificar se os seus links estão todos de acordo com as boas práticas do Google do que acabar perdendo uma grande share de tráfego orgânico por conta disso.

A share de tráfego orgânico é a parcela de visitantes que chegam ao site por meio de pesquisas no Google. Assim, o tráfego orgânico é uma das formas de atrair visitantes sem precisar veicular anúncios.

Entenda a importância do tráfego orgânico para o seu site

Agora vamos entender melhor do que se trata essa atualização e quais são as boas práticas de link building do Google!

Como taguear os links de maneira correta?

Os links são uma das formas que o algoritmo do Google pode entender qual conteúdo é relevante para determinado usuário. Quando os publishers utilizam links para monetização, como links de afiliados, o buscador passa a exigir que esses links sejam tagueados da forma correta indicando em qual categoria se encaixam.

O tagueamento de links é uma forma de contar para o Google qual a sua relação com o site do qual você está veiculando o link em sua página. Para fazer isso, basta adicionar o atributo rel no tagueamento <a> do código da sua página. Confira!

Links de afiliados

Os links de afiliados são formas com que um anunciante pode identificar a origem de uma compra e recompensar o afiliado que divulgou seu produto. Com a Link Spam Update, os afiliados que veiculam esses links devem qualificar os links com a tag rel=”sponsored”.

Se o Google identificar links de afiliados que não possuam o tagueamento correto, pode anular ou punir o publisher que veiculou eles. Esse esforço do buscador na qualificação de links é uma das formas de melhorar os resultados de pesquisas relacionadas a produtos e recompensar o conteúdo relevante e de boa qualidade.

Posts patrocinados e guest posts

Outra forma com que publishers podem monetizar seus sites é por meio de posts patrocinados e guest posts que vem de outros sites. No passado, o Google observou que diversos links de baixa qualidade eram veiculados nessa modalidade. 

Quando falamos em links de baixa qualidade, nos referimos a links que não atendem ao que o usuário busca. Ou seja, o único propósito é redirecionar os usuários para um site, mesmo que o conteúdo não tenha nada a ver com a intenção de busca dele.

Portanto, para coibir a prática de spam e manipulação do algoritmo do Google, as devidas qualificações de tagueamento devem ser aplicadas a estes links também.

Para esses posts, as qualificações recomendadas são adicionar a tag rel=”sponsored” ou rel=”nofollow”.

Boas práticas no uso de links em seu site

No geral, existem algumas boas práticas no uso de links que o Google recomenda para publishers. Estar de acordo com essas boas práticas é uma das formas de garantir que seu site não será punido pela forma como você veicula links em suas páginas, seja qual for a origem ou a intenção deles. Confira algumas dicas!

1. Não troque links por dinheiro

Essa é uma prática extremamente repudiada pelo gigante de buscas, pois torna o link building uma ação não natural, ou seja, sem relação alguma com a qualidade do conteúdo. 

Portanto, não é recomendado aceitar dinheiro para inserir links externos em seu site e nem pagar outros sites para inserir links que redirecionam para a sua página. Com exceção dos casos onde o tagueamento indica essa modalidade.

2. Não realize trocas excessivas de links com um mesmo site

Alguns publishers possuem outros publishers parceiros com quem realizam a troca de links com o único propósito de fazer “cross-linking”. Essa prática também é mal vista pelo Google, mesmo que não envolva benefícios financeiros, pois torna o conteúdo secundário no link-building.

3. Não use automatização de redirecionamento por links

Outra prática mal vista pelo Google é a criação automatizada de links que redirecionam o usuário para um determinado site. Ela não é recomendada porque se encaixa na ideia de link building não natural. Ou seja, o usuário não foi redirecionado para aquele site pela relevância e qualidade do conteúdo.

4. Produza conteúdo de qualidade

Para publishers que querem ver seu conteúdo veiculado em outros sites por meio de links, a recomendação do Google é simples e direta: a melhor forma de fazer isso é criar conteúdo único e relevante que naturalmente ganhe popularidade online

Quanto mais conteúdo relevante você possuir, maior é a chance de outros sites acharem esse conteúdo valioso para seus usuários lerem também. Bom conteúdo compensa!

Venha para a Premium Ads!

Outra forma com que os publishers podem monetizar sites que possuam um grande tráfego é por meio da veiculação programática de anúncios.

A Premium Ads é uma empresa de gerenciamento de mídia programática e suporte ao publisher. Nós planejamos e operacionalizamos todo o processo de veiculação de anúncios em seu site, sem que você precise adicionar mais uma tarefa a sua rotina.

A partir da mídia programática, realizamos o processo de monetização do seu portal do início ao fim. E o melhor? Tudo utilizando tecnologia própria aliada a tudo que o Google oferece de melhor. Além de conectarmos anunciantes do Brasil e de fora do país, também realizamos a otimização do seu inventário para garantir o melhor CPM.

Nossa monetização com tecnologia header bidding inclui display (banners), vídeo out-stream, vídeo in-stream, apps nativos, formatos especiais de publicidade, criação e monetização de páginas AMP, consultoria e muito mais.

Entre em contato com o nosso time comercial para uma análise de seu portal e descubra o seu potencial de faturamento.

Para mais informações sobre como taguear corretamente um link patrocinado, clique aqui.

Se você quiser se aprofundar ainda mais nas boas práticas de link-building do Google, clique aqui.

Assine nossa newsletter e fique por dentro das novidades da Premium e do mercado de mídia programática!

Compartilhe

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin