preloader

Intersticiais: Google está rebaixando sites mobile com pop-ups intrusivos

popup-sites-mobile-google-vai-penalizar
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter

Mais uma vez, o Google sai em defesa da experiência do usuário. Se você utiliza pop-ups no site da sua empresa, saiba que o Google já colocou em prática algumas mudanças que podem afetar os resultados orgânicos do seu site. As páginas que tiverem pop-ups considerados muito intrusivos vão sofrer uma queda no ranking de buscas feitas em dispositivos móveis. Mas se você é Publisher, não é preciso entrar em pânico. Neste artigo vamos te explicar como fazer as adaptações necessárias para que seus resultados não sejam afetados por essa atualização.

Os Intersticiais

Sabe aqueles pop-ups que exigem que você clique no X ou em um botão de cancelar antes que você possa ver o conteúdo de um site? Eles são chamados de intersticiais e, quando usados de maneira errada, podem arruinar a experiência do seu usuário, principalmente no mobile. Isso porque os intersticiais geralmente tornam o conteúdo mais difícil de ser acessado. Ao mesmo tempo que eles chamam a atenção do usuário, eles podem ser bem irritantes.

Tem muito Publisher que usa os intersticiais para que o usuário se cadastre para receber conteúdos, ou para anunciar produtos e serviços, e vê isso como uma forma de aumentar a CTR e o tempo no site. Mas esses anúncios podem ser considerados intrusivos, irritantes e agressivos pelos usuários. E o Google quer que o usuário tenha a melhor experiência possível, então… para que brigar com ele e correr o risco de ser preterido no seu posicionamento nas buscas? Então, nada de anúncios difíceis de fechar flutuando sobre o conteúdo principal, para não correr o risco de perturbar o Google (e seus usuários). Muito menos aquelas páginas intersticiais que redirecionam o usuário para longe do conteúdo principal e não oferecem um caminho de volta!

Os pop-ups são boas ferramentas para conversões em e-commerces, para impulsionar sua lista de e-mail ou para ajudar a construir sua audiência nas redes sociais. Por isso muitos administradores de páginas são verdadeiros “pop-up lovers” e nem pensavam em deixar de usar essa ferramenta. E na verdade não precisam parar – se fizerem um uso estratégico dos intersticiais e corrigirem o que o Google não gosta (nem seus usuários) e aplicarem no contexto certo. O que não dá é para os intersticiais ficarem bloqueando conteúdo e dificultando a navegação. Mesmo porque existem intersticiais com razões legítimas para serem usados – e vamos falar sobre isso um pouco mais a frente.

Vale lembrar que o Google faz parte da Coalition For Better Ads (veja aqui um post sobre este assunto), que foi criado justamente para melhorar a experiência do usuário com a publicidade online. Até por isso é que a empresa faz alterações como esta de tempos em tempos e está sempre tentando encontrar maneiras de oferecer conteúdo mais relevante e de alta qualidade, da melhor maneira possível, a quem está na internet. E também por isso que anúncios intrusivos interferem no seu SEO, criam instabilidade no seu ranqueamento e afetam seu resultado nas pesquisas – então não queira ser afetado pela penalidade de anúncios intersticiais! Para não ser penalizado, basta saber que tipo de anúncio você pode e não pode usar (e começar a fazer as mudanças necessárias o quanto antes).

 

Mudança anunciada

Essa punição não é bem uma novidade, já que o comunicado oficial de que ela aconteceria vem desde 2016. Não é que o uso de pop-up proíba o site de aparecer nos resultados de busca do Google – afinal, oferecer conteúdo relevante ainda é o ponto principal para se destacar na plataforma – mas acaba perdendo pontos por oferecer uma experiência ruim ao usuário e, por isso, páginas em que o conteúdo não é facilmente acessível a um usuário na transição dos resultados da pesquisa para celular podem não ter uma classificação tão alta. Ou seja, anúncios irritantes vão acabar afetando seu SEO e prejudicando seu ranqueamento. Nas palavras do Google: “As páginas que exibem intersticiais intrusivos oferecem uma experiência do usuário mais insatisfatória que outras páginas nas quais o conteúdo é acessível imediatamente. Isso é problemático em dispositivos móveis, já que as telas, em geral, são menores”.

Então, se quando o usuário clicar em um resultado da busca do Google e cair em uma página cheia de pop-ups irritantes, que dificultem o acesso à informação que ele procurou, esse site vai ter uma classificação mais baixa na hora em que o Google for mostrar os resultados. Alguns exemplos dos intersticiais que prejudicam o acesso ao conteúdo são:

  •         pop-up que cobre o conteúdo principal (seja imediatamente após o usuário acessar a página a partir dos resultados da pesquisa ou enquanto ele olha a página).
  •         intersticial autônomo que o usuário precise dispensar antes de acessar o conteúdo principal.
  •         Conteúdo principal abaixo da dobra, com um layout que deixe a porção acima da dobra semelhante a um intersticial autônomo

Veja na imagem os exemplos dados pelo Google:

Técnicas permitidas: nem todos os pop-ups são ruins

Nem todo intersiticial será punido. Existem técnicas que não são afetadas pelas regras do Google, como é o caso dos pop-ups que existem para cumprir obrigações legais (para verificar a idade ou alertar sobre o uso de cookies, por exemplo) ou das caixas de diálogo para captar e-mails (já que esse conteúdo não é indexável publicamente). Banners que usam uma boa parte da tela, mas que são facilmente dispensáveis também são permitidos, como aqueles que sugerem a instalação de aplicativos (inclusive do próprio Chrome).

Pop-ups que aparecem só quando o usuário muda de uma página para a outra, dentro do próprio site (ou seja, que não apareça quando ele abre a página clicando nos resultados do Google), também não representam um problema. Isso porque a regra se aplica apenas a páginas acessadas por meio de busca orgânica. Pop-ups que levam a conteúdo exclusivo e paywalls também estão liberados, assim como aqueles que aparecem quando alguém clica em um botão ou um link. Em resumo, para garantir que seu site fique bem com o Google, pode usar pop-up, mas sem abusar, ou você pode ser prejudicado. Prefira sempre o uso com ofertas/ informações que tenham a ver com o conteúdo postado, sem exagero e sem atrapalhar a experiência do seu usuário dentro do site.

Você pode deixar de utilizar os pop-ups para quem acessa sua página via dispositivos móveis e manter para quem usa no desktop também. Mesmo porque os pop-ups são um bom modo de gerar leads, mas não precisam irritar seu usuário. Pense sobre a intenção do seu pop-up, avalie se ele interrompe a experiência do usuário e prejudica o acesso ao seu conteúdo. Se isso estiver acontecendo, pare de usar, ou terá uma classificação ruim no Google. Um interstistial só é bom se ele se encaixar no fluxo de experiência do usuário.

Lembre-se que o Google quer melhorar a experiência de pesquisa no celular para os usuários, tornando-a mais conveniente, por isso, quanto menos pop-ups intersticiais intrusivos, melhor. No fim das contas, você ainda pode ter pop-ups no seu site, desde que eles não prejudiquem a visão do seu conteúdo. E, afinal, o intersticial só vai funcionar bem para você se ele tiver uma finalidade muito definida e ajudar muito na sua estratégia de marketing. Senão, ele é desnecessário. E se tiver o hábito de usar aqueles pop-ups de meia página, pode ir parando já – use esse formato para transmitir só as informações mais necessárias (um bom copy serve para isso!).

Os intersticiais de saída

Antes de encerrarmos, há um tipo de intersticial que merece destaque justamente porque não funcionam em dispositivos móveis: os intertisciais de saída! Se o Google está de olho nas versões mobile, tecnicamente esses estariam liberados para uso, certo? Sim e não. O Google também considera sua versão desktop (mesmo que sua versão mobile seja a melhor do mundo). Os intertisciais de saída exigem experimentação para saber qual o melhor texto e design para aumentar suas conversões – assim como os intersticiais de clique, que também são boas iscas digitais e não irritam o Google.

Dica extra: também é bom fazer um Teste de Compatibilidade com Dispositivos Móveis no Google Search Console para verificar se seu site não apresenta erros na versão para celular, afinal, estamos falando em diminuir a chance de perder tráfego devido a uma má experiência do usuário no mobile, não é?

Para encerrar

Como você viu, não é o fim dos pop-ups e seu site não será prejudicado se você usar os intersticiais com responsabilidade e não prejudicar o acesso ao conteúdo. Caso contrário, a penalidade do Google para os intersticiais vai afetar negativamente seu ranqueamento – e aí não há investimento em SEO que resolva. Não interrompa o usuário, não tire o foco dele do conteúdo. Ainda tem alguma dúvida sobre algum tipo específico de pop-up? Deixe aqui nos comentários que vamos ajudar a resolvê-la!

PREMIUM PROGRAMMATIC

A Premium Programmatic é especialista em gestão de mídia programática, atende mais de 160 portais de notícias do Brasil com 1,2 bilhões de impressões monetizadas mensalmente, integrando o seu portal com as principais demandas e redes de anunciantes nacionais e internacionais, incluindo a demanda premium de anunciantes disponível no Google Ad Exchange, a maior bolsa de negociação de mídia programática do mundo.

Nossa monetização com tecnologia header bidding inclui display (banners)vídeo out-stream, vídeo in-stream, apps nativos, formatos especiais de publicidade, criação e monetização de páginas AMPconsultoria e muito mais. Saiba mais navegando pelo nosso site e entre em contato com nosso time comercial para uma análise de seu portal e potencial de faturamento, sem compromisso.

 

Assine nossa newsletter e fique por dentro das novidades da Premium e do mercado de mídia programática!

Compartilhe

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin